Victor e colegas de turma da Cedar High School

Victor e colegas de turma da Cedar High School

O intercâmbio cultural é, sem dúvida, uma excelente oportunidade para os jovens. Neste tipo de viagem, eles podem vivenciar o dia a dia de diferentes culturas, praticar outros idiomas, conhecer novas pessoas e como consequência, amadurecer e ganhar experiência de vida. Apesar dos óbvios benefícios oferecidos pelo intercâmbio, alguns pais ficam inseguros de deixar os filhos viajarem “sozinhos” para outro país.

Rosana Rosenblatt, mãe de Victor, nos contou como foi a experiência de ter o filho morando  no exterior. Victor viajou em 2010, com 15 anos, para  Cedar Park, Texas, onde estudou por algum tempo na Cedar High School. Apesar das saudades, ela recomenda aos outros pais que apóiem a decisão dos filhos de fazer intercâmbio e diz que Victor amadureceu bastante com a experiência.

“Sinceramente falando, a princípio eu tive bastante receio, o Victor era pré-adolescente, bom menino, mas com suas manias e preguiças. Dá uma certa impotência saber que um filho esta tão longe de você durante tanto tempo”, diz Rosana.

Rosana conta que a decisão foi tomada por Victor, com influência do pai, mas que ela acabou dando apoio ao filho. O mais difícil para ela foram as saudades“. Senti muita falta dele, era muito estranho ver seu  quarto sempre arrumado e silencioso. Tão difícil que fiz o possível e inimaginável para não telefonar, mas não deixei que minha saudade atrapalhasse sua interação com a família”.

Mãe e filho se falavam via Skype, MSN e através de e-mails, além disso, Rosana também falava por correio eletrônico com a  mommy americana, que sempre a tranquilizava.

Rosana nos contou que notou várias mudanças no comportamento do filho após seu retorno, todas para melhor. “ É realmente uma pena que logo eles se readaptem à realidade brasileira de ter alguém para fazer tudo para eles”, diz ela.

“Sem dúvida alguma a experiência aumentou sua autoestima, pois foi a primeira vez que ele teve que conquistar seu espaço sem a nossa ajuda. Também passou a valorizar mais a maravilhosa “vida boa” que tem em casa. Foi uma experiência tão boa e significativa, que durante o Carnaval deste ano (12 dias precisamente) eles moraram conosco no Rio e amaram o Brasil. Fora claro, a questão da fluência no idioma”.

Victor e colegas de turma da Cedar High School

Victor e colegas de turma da Cedar High School

Rosana recomenda a outros pais incentivarem os filhos na decisão de fazer intercâmbio e diz que na sua opinião, o ICCE é o mais bem preparado na prestação deste serviço.

Victor entre seus pais naturais, Daniel e Rosana e seus "pais americanos", no Rio

Victor entre seus pais naturais, Daniel e Rosana e seus "pais americanos", no Rio